Pesquisar este blog

Carnaval de Pernambuco 2013 - FREVO



Neste primeiro programa, você vai conferir tudo sobre o ritmo que contagia, e atrai milhares de foliões para Pernambuco, o frevo! Apresentação: Lucas Adriel Imagens: Danielle Martins Produção: Nayara Karoline e Ingrid Larissa http://www.canalbrasilrs.com

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Prefeitura do Recife finaliza obras do Paço do Frevo

Imóvel do início do século XX foi recuperado para
abrigar centro de referência para todo o País.
Foto: Luciano Ferreira
por Assessoria de Imprensa da Prefeitura da Cidade do Recife

Imóvel do início do século XX, tombado pelo Iphan, foi totalmente recuperado para abrigar centro de referência cultural, arquitetônica e histórica para todo o País

O frevo, Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, está prestes a ganhar um espaço direcionado à difusão, pesquisa, lazer, formação e apoio profissional na área da dança e música. A Prefeitura do Recife encerra o ano com a restauração e reforma do Paço do Frevo. O edifício localizado na Praça do Arsenal foi totalmente recuperado e adaptado para abrigar centro de documentação, museu com espaços para exposição permanente e temporária, cursos profissionalizantes de música e dança, estúdio de gravação de áudio, rádio online, palco para apresentações artísticas e cafeteria.

“Encaminhamos toda a parte do projeto que é de responsabilidade da nossa gestão, como o acervo, a escola de dança e de música. O trabalho para que o Frevo se tornasse patrimônio foi iniciado pela Prefeitura do Recife e o reconhecimento da Unesco foi importante turisticamente para fortalecer o Recife como a Terra do Frevo. Estou muito contente, pois essa é uma obra emblemática para a cultura da cidade, por tudo que foi feito pela restauração do frevo nos últimos 12 anos. Concluir esse monumento é muito importante”, comemora o prefeito João da Costa.

O imóvel, de estilo eclético, com composição clássica inspirada no renascimento, foi construído no início do Século XX (provavelmente em 1906). É tombado pelo Instituto do Patrimônio Artístico Nacional (Iphan) desde 1998. Até 1973, o edifício sediava a Western Telegraph Company. Com orçamento de R$ 11,7 milhões, e ainda R$ 2,8 milhões investidos diretamente pela Prefeitura em ações como a desapropriação do prédio e a compra de acervo, mobiliário e equipamentos, o Paço do Frevo teve suas obras iniciadas em 2010.

O espaço está totalmente climatizado, com iluminação, rede de equipamentos de segurança e lógica instalados. A recepção, salas (professores, dança, música, administração, diretoria, oficina, camarim, rádio online), estúdio de gravação e centro de documentação já dispõem de computadores e mobiliário. O centro de documentação conta com acervo inicial com 500 títulos sobre o frevo e o Carnaval de Pernambuco, entre livros, revistas, catálogos e audiovisual; 4.000 imagens digitalizadas; e 200 partituras.

A Prefeitura do Recife já realizou a seleção para recepcionistas e a contratação e treinamento de 20 monitores, que contam com fardamento e estão prontos para o atendimento ao público. Também já existem contratos firmados para segurança, limpeza e manutenção predial e do elevador.

Para a inauguração e pleno funcionamento do Paço do Frevo faltam apenas a finalização da montagem da exposição permanente, a compra de equipamentos para o estúdio de gravação e a licitação para instalação da cafeteria. A edificação tem área total de 1.733,00 m² e está dividida em quatro pavimentos.

(Reprodução/Internet)
O Paço do Frevo é uma iniciativa da Prefeitura do Recife, com criação e realização da Fundação Roberto Marinho, patrocínio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), Empresa de Turismo de Pernambuco (Empetur), Grupo Camargo Corrêa, Instituto Votorantim, Itaú, Rede Globo, e apoio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Ministério da Cultura através da Lei de Incentivo à Cultura.

Atividades – O funcionamento do Paço do Frevo foi planejado por grupo de trabalho formado por diversas profissionais da Prefeitura do Recife, vinculados à Secretaria de Cultura e Fundação de Cultura Cidade do Recife. Em encontros periódicos, o grupo elaborou um plano de atividades para atender aos objetivos de promover a valorização, preservação e difusão da memória do frevo; fomentar o turismo; propiciar a informação através da música e da dança, enquanto referência cultural; e promover a capacitação profissional nas áreas de abrangência do frevo.

Expografia – O Paço já conta com a sua primeira exposição temporária montada. Intitulada: São José – Territórios do Frevo, a mostra foi idealizada por Carmem Lélis e Cátia Avelar. A curadoria foi realiza por Carmem Lélis e Hugo Menezes. A exposição presta homenagem ao bairro de São José como nascedouro do Frevo, reunindo mapa, depoimentos, fotografias e vídeos.

A exposição permanente do Paço do Frevo tem criação e execução sob a responsabilidade da Fundação Roberto Marinho, com direção artística de Bia Lessa. Os vários conteúdos que formam a história do frevo enquanto dança e música serão expostos no primeiro e quarto piso na exposição permanente, que está sendo montada com uma linha do tempo sobre o frevo, textos, vídeos, fotografias e estandartes de agremiações.

Nenhum comentário: